Passar para o Conteúdo Principal
Português|English
a vida de movimento

Notícias do Metro do Porto

Novas linhas já têm projectistas

21 Dezembro 2017

Novas linhas já têm projectistas

Untitled 1 copy 1 980 2500

Estão escolhidas as equipas projectistas das novas linhas do Metro do Porto. O relatório final do júri do concurso foi ontem entregue ao Conselho de Administração, que o validou. Estão assim aprovadas a adjudicação do projecto da nova Linha Rosa (G) ao consórcio formado pela SENER, pela CJC e pela NSE, pelo valor de 1.820 mil euros, e a adjudicação do projecto do prolongamento da Linha Amarela (D) às empresas LCW, Amberg Engineering e GRID, pelo valor de 1.470 mil euros. A formalização dos contratos com os projectistas sucederá nos próximos dias, pelo que os trabalhos de estudo e concepção das linhas que integram esta fase de expansão da rede do Metro vão arrancar já no mês de Janeiro.

De um total de 12 concorrentes, seis consórcios haviam ficado, em meados de Novembro, pré-qualificados para desenhar as duas novas linhas. Após a recepção e análise das propostas, o júri deste concurso público internacional propôs a decisão que agora é tornada oficial. Refira-se que o valor de referência para este concurso era de 4,7 milhões de euros (2,6 M€ para o projecto da Linha Rosa e 2,1 M€ para a Linha Amarela), sendo que as propostas vencedoras totalizam cerca de 3,3 milhões de euros (1,82M€ e 1,47M€, respectivamente).

A Linha Rosa (G), que terá uma extensão de 2,5 quilómetros e quatro estações subterrâneas (que que vão ser projetadas por Eduardo Souto Moura, o arquiteto responsável pelo desenho da primeira fase do Metro), vai assegurar a ligação entre S. Bento, Cordoaria/Hospital de S. António, Galiza/Centro Materno-Infantil e Casa da Música/Rotunda da Boavista. A SENER, a CJC e a NSE deverão entregar o estudo prévio, avaliação de impacto ambiental, declaração de impacto ambiental e projecto de execução num período máximo de 330 dias.
O prolongamento a Sul da Linha Amarela compreende a ligação de Santo Ovídio a Vila d’Este, servindo o Hospital de Gaia, numa extensão de 3,2 quilómetros e incluindo três novas estações. O prazo que as empresas LCW, Amberg Engineering e GRID têm para a execução deste projecto e para obtenção de declaração de impacto ambiental é de 270 dias.
Com o desenvolvimento dos projetos a decorrer ao longo de 2018, o lançamento dos concursos para as empreitadas de construção da Linha Rosa e da extensão da Linha Amarela sucederá no final desse mesmo ano, de modo a que as obras arranquem, no Porto e em Vila Nova de Gaia, nos primeiros meses de 2019 e venham a ficar concluídas em 2022. As novas linhas vão servir, diariamente, mais de 33 mil pessoas, cobrindo importantes polos de procura. O investimento global nesta fase de expansão da rede do Metro é na ordem dos 290 milhões de euros.