Passar para o Conteúdo Principal
Português|English
a vida de movimento

Notícias do Metro do Porto

Lançados novos concursos para expansão da rede

27 Março 2020

Lançados novos concursos para expansão da rede

Untitled 1 1 980 2500 1 980 2500 1 980 2500 1 980 2500

Concorrentes podem apresentar propostas até 28 de Abril

O Metro do Porto lançou hoje os concursos públicos para as empreitadas de construção da Linha Circular (Linha Rosa), com o preço base de 235 milhões de euros, e para a extensão da Linha Amarela desde Santo Ovídio a Vila d’Este – com o preço base de 130 milhões de euros. Estes procedimentos decorrem da Resolução de Conselho de Ministros nº 13/20, do dia 25 de Março, que veio aprovar o reforço do montante global de investimento na expansão da rede do Metro do Porto.

O prazo limite para apresentação de propostas pelos concorrentes a ambos os concursos é o dia 28 de Abril, dentro de pouco mais de um mês. Estima-se que os júris dos concursos possam propor a adjudicação das empreitadas ao Conselho de Administração da Metro do Porto ainda no primeiro semestre deste ano.

No conjunto dos dois projectos e após o reforço aprovado pelo Governo, o orçamento para a expansão da rede atinge os 407 milhões de euros. O financiamento é suportado pelo Fundo Ambiental e por fundos Europeus no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), geridos a partir do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Ambas as empreitadas agora postas a concurso vão decorrer entre 2020 e 2023 e incluem a construção de seis quilómetros de linha e sete estações. Os estudos relativos e esta expansão do Metro apontam para um cenário de conquista de mais de 10 milhões de novos clientes anuais, com todos os impactos ambientais positivos que daqui decorrem.

A construção da Linha Rosa, entre as estações de S. Bento e da Casa da Música, tem um prazo de execução de 42 meses, sendo o prolongamento da Linha Amarela entre Santo Ovídio e Vila d’Este executado em 34 meses.

Com esta etapa de crescimento, o Metro vai reforçar a ligação aos hospitais, unindo os principais polos do Serviço Nacional de Saúde no centro da Área Metropolitana, passando a chegar ao Hospital de Santo António, ao Hospital Santos Silva e ao Centro Materno-Infantil (o Hospital S. João, o Hospital Pedro Hispano e o IPO são já servidos pela rede atual). Por outro lado, aumenta a cobertura junto de instituições de ensino básico, secundário e superior, naquele que é, por excelência, o meio de transporte preferido dos jovens e dos estudantes. Entre os destinos das novas linhas estão a Escola Soares dos Reis, em Gaia, e a Escola Gomes Teixeira, no Porto. Mas está também parte do Polo Universitário do Campo Alegre, com as Faculdades de Letras, de Arquitetura e de Ciências a menos de 10 minutos a pé da futura Estação da Galiza, na Linha Rosa. Por fim, o Metro vai alcançar zonas de elevada densidade populacional, como é o caso da urbanização de Vila d’Este, em Vila Nova de Gaia.