Passar para o Conteúdo Principal
Português|English
a vida de movimento

Notícias do Metro do Porto

NOVA LINHA ROSA PRONTA A ARRANCAR

05 Novembro 2020

NOVA LINHA ROSA PRONTA A ARRANCAR

Site rosa v2 1 980 2500

Metro do Porto assina contrato com consórcio construtor e aguarda visto do Tribunal de Contas para materializar investimento de 189 milhões de euros

A construção da Linha Rosa do Metro do Porto está mais próxima de arrancar, agora que foi assinado o contrato para a empreitada com o consórcio Ferrovial/ACA. O valor de adjudicação é de 189 milhões de euros e as obras vão ter início após validação por parte do Tribunal de Contas, prolongando-se até ao final de 2023.

A nova Linha Rosa do Metro do Porto é formada por quatro estações e cerca de três quilómetros de via, ligando S. Bento/Praça da Liberdade à Casa da Música, servindo o Hospital de Santo António, o Pavilhão Rosa Mota, o Centro Materno-Infantil, a Praça de Galiza e as faculdades do polo do Campo Alegre. Esta linha é a parte inicial de uma circular interna que fará a ligação com os restantes eixos da rede do Metro.

Para Tiago Braga, “este é mais um passo, embora formal e obrigatório, que tem um grande significado para a expansão da rede”. O presidente da Metro do Porto refere “toda a empresa tem estado muito empenhada e a trabalhar intensamente na preparação dos projectos, dos concursos e agora da obra da Linha Rosa. Há um grande entusiasmo, que se estende a toda a comunidade, em torno desta nova linha, porque há muito que as pessoas querem mais linhas de Metro. Vamos tirar milhares de automóveis das ruas, vamos dar mais um forte contributo para a melhoria qualidade do ar, vamos ajudar a tornar a cidade mais sustentável. Temos vindo a trabalhar na Linha Rosa ao longo dos últimos três anos. Estamos ansiosos e totalmente preparados para começar”.

O contrato ontem, 4 de Novembro, assinado por Tiago Braga, Pedro Azeredo Lopes e Lúcia Leão Lourenço (presidente e administradores executivos da Metro do Porto) e Gregório Rodriguez e Alberto Couto Alves (em representação do consórcio constituído pela Ferrovial e pela ACA) segue de imediato para o Tribunal de Contas, para apreciação e emissão do obrigatório visto prévio.

A assinatura do contrato para esta empreitada estava pendente do levantamento dos efeitos suspensivos de uma acção judicial interposta por um dos participantes no Concurso Público Internacional para esta obra, do qual a Metro do Porto recorreu. Tendo o Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto dado provimento ao recurso apresentado, deixou de existir qualquer impedimento ao avanço do processo, nos termos da Lei e do programa do concurso, formalizando-se a adjudicação.

Juntamente com o prolongamento da Linha Amarela, a Linha Rosa do Metro do Porto constitui o maior investimento público actualmente em curso em Portugal.