Passar para o Conteúdo Principal
Português|English
a vida de movimento

Notícias do Metro do Porto

Cada vez mais "verde"

09 Abril 2009

Cada vez mais "verde"

20090422121648726647 1 980 2500
Mais de mil árvores plantadas, 63 mil metros quadrados de espaços verdes criados e uma redução de 60% no consumo de água em 2008

O Metro do Porto apresentou progressos exemplares no que diz respeito ao desenvolvimento sustentável e ao comportamento ecológico, ao longo de 2008. De acordo com o Relatório de Sustentabilidade da empresa - recentemente concluído e aprovado -, o consumo de água foi reduzido em 60% (face a 2007), foram criados 6,3 hectares de espaços verdes e foram plantadas mais de mil árvores. No total, são mais de 25 hectares de espaços verdes criados e 7 mil as árvores plantadas pelo Metro do Porto, desde o início da operação, em 2003. Estes resultados são uma consequência directa dos esforços do Metro em promover a eficiência energética e a mobilidade sustentável da população.

A redução tão significativa do consumo de água, em 2008, foi conseguida graças ao controlo mais responsável do sistema de irrigação e à redução das zonas de rega. A juntar a este facto estão as 40 mil toneladas de CO2 que não foram emitidas para a atmosfera, devido ao abandono de outros meios de transporte por parte dos clientes do Metro do Porto. De facto, com a chegada do Metro, cerca de 12 mil automóveis deixaram de circular diariamente na Área Metropolitana do Porto. Isto resultou numa maior fluidez do trânsito e numa menor pressão sobre o estacionamento na cidade. Também os títulos reutilizáveis ANDANTE, utilizados no Metro do Porto, foram importantes para a prestação ambiental da empresa. Graças ao uso de títulos recarregáveis, evitou-se o abate de 482 árvores, que, por sua vez, absorveram 3 mil toneladas de CO2 ao longo do ano.

Nos escritórios do Metro do Porto, é utilizado papel reciclado desde 2006. Fazendo as contas, são cerca de meio milhão de litros de água poupados, 100 árvores não abatidas e 17 toneladas de CO2 não emitidas para a atmosfera. Registou-se ainda uma redução de 13% nas cópias e impressões feitas, relativamente a 2007. Tudo isto é o resultado de melhores hábitos profissionais e de uma melhor gestão dos recursos disponíveis.

Actualmente, o Metro do Porto está a desenvolver, em parceria com a Efacec e com a Universidade do Minho, um projecto-piloto de aproveitamento da energia gerada na travagem dos veículos. Este sistema está instalado em toda a frota do Metro e permite que a energia gerada na travagem de um veículo seja utilizada por outros veículos em circulação. As preocupações com a eficiência energética foram também observadas ao nível dos consumos. Destaca-se a redução de 11% na energia utilizada no PMO (Parque de Máquinas e Oficinas) de Guifões. Em termos totais, o consumo de energia foi reduzido em 1%, face a 2007. Estes resultados são de valorizar, visto ter sido um ano em que a procura aumentou e em que foram batidos todos os recordes de validações do Metro do Porto.

A gestão dos resíduos foi outra das prioridades na actuação do Metro do Porto. A empresa procurou diminuir os resíduos produzidos na construção das linhas e garantir um destino final adequado para os mesmos. Outras das preocupações da empresa, foi a valorização das áreas em redor das estações. Nessas áreas, foram construídos percursos pedonais e espaços verdes, que garantem uma melhor qualidade de vida para as pessoas que aí residem.

No âmbito do ordenamento do território, o Metro do Porto foi galardoado com o prémio Light Rail Award – Best New System, da UITP (União Internacional dos Transportes Públicos). Segundo esta instituição, o Metro do Porto é exemplar na combinação da harmonia dos centros históricos com os meios urbanos modernos e na integração e renovação do território. A Metro do Porto, S.A. foi ainda reconhecida pela UITP como uma empresa que assenta a sua actividade em princípios de desenvolvimento sustentável e que tem como linhas orientadoras a protecção do ambiente e a conservação dos recursos naturais.