Passar para o Conteúdo Principal
Português|English
a vida de movimento

Routes of Metro do Porto

Ferrovial/ACA com as melhores propostas para a expansão do Metro do Porto

25 Junho 2020

Ferrovial/ACA com as melhores propostas para a expansão do Metro do Porto

Nes26mai20 1 980 2500 1 980 2500

Linha Rosa e Linha Amarela vão ser adjudicadas pelo valor global de 288 milhões de euros

O Conselho de Administração da Metro do Porto recebeu o relatório preliminar dos júris dos concursos públicos para a expansão da rede. Para a construção da Linha Circular (Linha Rosa), Aliados/Praça da Liberdade – Casa da Música/Boavista -, a melhor proposta é a do consórcio Ferrovial/ACA, no valor de 189 milhões de euros. Para o prolongamento da Linha Amarela entre Santo Ovídio e Vila d’Este foi também o consórcio formado pela Ferrovial e pela ACA a apresentar a proposta com a melhor avaliação, tendo o valor de 98,9 milhões de euros.

Tudo a postos para que, após o cumprimento de todos os formalismos e prazos legais, possa em breve proceder-se à adjudicação de ambas as empreitadas e que as obras arranquem no segundo semestre deste ano. Estão em causa mais seis quilómetros e sete novas estações de Metro, no Porto e em Vila Nova de Gaia.

Os valores de referência para o investimento da expansão da rede do Metro eram de 235 milhões de euros para a Linha Rosa e de 130 milhões de euros para o prolongamento da Linha Amarela, pelo que os valores das propostas vencedoras de cada um dos concursos representam poupanças substanciais. A nova Linha Rosa (Circular) do Metro do Porto integrará quatro estações e cerca de três quilómetros de via, ligando S. Bento/Praça da Liberdade à Casa da Música, servindo o Hospital de Santo António, o Pavilhão Rosa Mota, o Centro Materno-Infantil, a Praça de Galiza e as faculdades do polo do Campo Alegre. Já a extensão da Linha Amarela permitirá construir um troço com três estações e cerca de três quilómetros, que ligará Santo Ovídio a Vila d’Este, passando pelo Centro de Produção da RTP e pelo Hospital Santos Silva. As empreitadas vão decorrer entre 2020 e 2023.