Passar para o Conteúdo Principal
Português|English
a vida de movimento

Notícias do Metro do Porto

Conselho de Administração da Metro do Porto reconduzido para novo mandato

27 Maio 2022

Conselho de Administração da Metro do Porto reconduzido para novo mandato

Logo site 1 980 2500

Accionistas renovam confiança na equipa liderada por Tiago Braga e aprovam contas de 2021


A Assembleia Geral do Metro do Porto, SA, reunida esta manhã, aprovou a recondução do Conselho de Administração da empresa para o triénio 2022-2024. A equipa formada por Tiago Braga (presidente), Pedro Azeredo Lopes (administrador-executivo), Lúcia Leão (administradora-executiva), Cristina Pimentel (administradora), Marco Martins (administrador) e Silva Tiago (administrador) viu igualmente serem aprovadas as contas relativas ao exercício de 2021.


O ano passado foi, recorde-se, ainda muito marcado pela pandemia, com tudo o que ela representou em termos de adversidades e desafios de várias ordens. Não obstante este contexto duro, o Metro do Porto superou as dificuldades e alcançou um alto desempenho quantitativo e qualitativo.


Tiago Braga, presidente da Metro do Porto, assinalou perante os accionistas presentes na Assembleia Geral que “um projecto, obra sempre em desenvolvimento como é a Metro do Porto, é um elemento já indissociável da região, que a torna mais coesa, competitiva e sustentável. Atingimos em 2021 marcos muito significativos para a estratégia da empresa”, acrescentou.


Os níveis de procura conheceram, no exercício, um aumento de 5,9% face ao ano anterior. Também a taxa de ocupação subiu, registando um crescimento de 0,98 pontos percentuais em relação a 2020 e, na mesma linha, as receitas da exploração cresceram 5,5%.


2021 foi, além disto, um ano que ficou para a história da empresa pelo avanço de diversos projectos. Destaque para o início da construção da Linha Rosa, no Porto, entre a Praça da Liberdade e a Casa da Música, e da extensão da Linha Amarela, em Vila Nova de Gaia, entre Santo Ovídio e Vila d’Este.


Foram ainda contratados os projectistas da Linha Rubi (Casa da Música-Santo Ovídio) e da nova ponte sobre o Douro, que será construída precisamente no âmbito desta linha. De igual modo, fez-se a adjudicação da concepção/construção da Linha BRT da Boavista. As obras da Linha Rubi e do BRT fazem da Metro do Porto a única empresa do sector empresarial do Estado com dois projectos inseridos no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), representando financiamento integral para um investimento global de 365 milhões de euros.

A expansão da rede de Metro está, por isso, garantida e de forma totalmente sustentável. Fica mais uma vez bem patente o contributo do Metro do Porto para as metas de descarbonização e neutralidade carbónica da região e do país.